top of page

O Excesso de Dopamina nas Redes Sociais e seu Impacto no Desenvolvimento dos Jovens

Atualizado: 19 de jul. de 2023

Nos últimos anos, o uso excessivo das redes sociais se tornou uma realidade comum entre os jovens. Essas plataformas digitais oferecem uma infinidade de estímulos, interações sociais e conteúdos atrativos. No entanto, por trás dessa aparente diversão, existe um efeito menos conhecido, mas significativo: o impacto do excesso de dopamina no desenvolvimento dos jovens.



A dopamina é um neurotransmissor relacionado à sensação de prazer e recompensa. Quando utilizamos as redes sociais, nosso cérebro é estimulado pela liberação desse neurotransmissor, proporcionando uma sensação de satisfação. Os jovens, em particular, são mais vulneráveis a esse ciclo de gratificação imediata e busca por aprovação social.

No entanto, o uso excessivo das redes sociais pode levar a um desequilíbrio na liberação de dopamina. Os jovens acabam ficando presos em um ciclo vicioso, buscando constantemente por novas curtidas, comentários e compartilhamentos para sustentar sua sensação de prazer. Essa dependência da dopamina pode levar a problemas no desenvolvimento dos jovens em várias áreas:


Saúde mental: O excesso de dopamina nas redes sociais pode contribuir para o desenvolvimento de transtornos como ansiedade, depressão e baixa autoestima. A busca incessante por validação e comparação constante com outras vidas aparentemente perfeitas retratadas nas redes sociais podem prejudicar o bem-estar emocional dos jovens.

Habilidades sociais: O uso excessivo das redes sociais pode limitar as interações sociais face a face. Os jovens podem encontrar dificuldades para estabelecer relacionamentos significativos e desenvolver habilidades de comunicação verbal e não verbal. A dependência da gratificação instantânea nas redes sociais pode prejudicar sua capacidade de lidar com desafios interpessoais do mundo real.

Concentração e produtividade: O constante acesso às redes sociais e a necessidade de atualização frequente podem afetar a capacidade de concentração e produtividade dos jovens. A distração contínua e a alternância constante entre tarefas podem prejudicar seu desempenho acadêmico e profissional.

Imagem corporal e autoestima: As redes sociais são um terreno fértil para a comparação entre corpos e aparências. A exposição constante a imagens idealizadas e padrões inalcançáveis de beleza pode levar a uma percepção distorcida da imagem corporal e contribuir para problemas de autoestima e insatisfação com a própria aparência.


É fundamental que os jovens tenham consciência dos efeitos do excesso de dopamina nas redes sociais e busquem um equilíbrio saudável no uso dessas plataformas. Além disso, é papel dos pais, educadores e profissionais de saúde promover a educação sobre o uso consciente das redes sociais, incentivando o desenvolvimento de habilidades offline, como a comunicação face a face, o tempo de qualidade com a família e amigos, a prática de atividades físicas e o cultivo de interesses pessoais.

Encontrar um equilíbrio entre o mundo virtual e o mundo real é essencial para o desenvolvimento saudável dos jovens. Ao entender os impactos do excesso de dopamina nas redes sociais, é possível promover mudanças positivas na forma como os jovens se relacionam com essas plataformas, permitindo um desenvolvimento mais equilibrado e saudável.

Atenciosamente,

NAP- NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO

Sirlene Cirilo


37 visualizações0 comentário
bottom of page