top of page

Cuidando da Mente e do Corpo no Tratamento do Câncer de Mama

Outubro é um mês que nos convida a lembrar da importância da conscientização e prevenção do câncer de mama, e isso vai muito além das mamografias e exames médicos. Neste outubro Rosa, gostaria de abordar a questão vital da saúde mental e emocional das pacientes com câncer de mama e seus familiares.

O Câncer de Mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada e irregular das células da mama,. O diagnóstico precoce pode salvar vidas, pois quanto menor o tumor no momento do diagnóstico, maiores as chances de cura.



O Ministério da Saúde recomenda que todas as mulheres, a partir dos 50 anos, realizem a mamografia anualmente, mas preste atenção nos sinais! Se você notou uma retração da pele da mama ou do mamilo, ferida no mamilo ou nódulo na axila, busque um atendimento médico imediatamente.

Enfrentar o Câncer de Mama pode mexer com a autoestima de muitas mulheres. Por isso, além de todos os cuidados multidisciplinares que o tratamento exige, trabalhar a autoestima pode fazer muita diferença. “A doença não pode ser o foco da sua vida, ela precisa fazer parte da vida. Sendo assim, vale organizar uma rotina que inclua hábitos saudáveis e buscar recursos que ajudem a se sentir melhor. Além de buscar informações e experiências de outras pessoas para ajudar a entender melhor essa fase”, explica a Psicóloga Sirlene Cirilo.


Cuidados Emocionais:

Nesse momento, é normal sentir medo, ansiedade, tristeza e até mesmo raiva. A incerteza do tratamento e o impacto na vida cotidiana podem ser esmagadores. Por isso, é crucial buscar apoio emocional. Psicólogos e grupos de apoio podem fornecer um espaço seguro para expressar essas emoções, compartilhar experiências e aprender a lidar com os desafios emocionais que surgem durante o tratamento.


Autoestima e Imagem Corporal:

As mudanças na imagem corporal devido à cirurgia de mastectomia ou outras intervenções podem abalar a autoestima. É fundamental lembrar que a beleza vai muito além da aparência física. Trabalhar na aceitação e amor próprio é um processo importante. Acompanhamento psicológico pode ajudar a construir uma imagem corporal saudável e promover a autoestima.


Família e Rede de Apoio:

O câncer de mama não afeta apenas a paciente, mas também sua família e amigos. É fundamental envolver a família no processo de tratamento e compartilhar os desafios emocionais que todos estão enfrentando. A união e o apoio mútuo podem fortalecer os laços familiares e tornar a jornada do tratamento menos solitária.


Resiliência e Esperança:

A resiliência emocional é uma qualidade valiosa durante a luta contra o câncer de mama. Desenvolver a capacidade de se adaptar às adversidades e manter um senso de esperança pode fazer uma grande diferença na jornada. Psicólogos podem auxiliar na construção dessa resiliência emocional e no desenvolvimento de uma mentalidade positiva.


Comunicação e Empoderamento:

A comunicação aberta com a equipe médica é essencial. Perguntas e preocupações devem ser expressas. Além disso, o empoderamento das pacientes para participarem ativamente de seu próprio tratamento é fundamental. A sensação de controle sobre as decisões relacionadas ao tratamento pode melhorar a autoestima e o bem-estar.

Às vezes, a luta contra o câncer de mama parece uma batalha solitária, mas você não está sozinha. A busca por apoio emocional é um passo corajoso na jornada da cura. Lembre-se de que, embora o câncer possa afetar a saúde física, o poder da mente e das emoções é um aliado valioso na luta contra essa doença.

Neste Outubro Rosa, vamos lembrar que cuidar da mente e do corpo é essencial. Não apenas para as pacientes, mas também para seus familiares e amigos. Juntos, podemos enfrentar o câncer de mama com coragem, resiliência e esperança.


Com carinho,

NAP – Núcleo de Apoio Psicopedagógico

Sirlene Cirilo

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page